A viagem da cadeira de rodas

Despachar a cadeira de rodas é uma ação obrigatória em qualquer aeroporto. O problema é que, por vezes, notamos que os funcionários não se preocupam muito com a correta adequação dela no bagageiro do avião. É sorte quando o dano fica meramente cosmético, o ruim é, depois de uma viagem, ao receber a cadeira de rodas, notar que ela foi esmagada, inutilizando-a por completo.

Para quem tem a experiência de viajar com alguém que possui necessidades especiais, pode ser que tenha passado por algo semelhante… Vamos descrever brevemente o que pode ser feito em ocasiões como estas, crendo, assim, que o dano no equipamento seja o menor possível. A cadeira de rodas é nossa amiga inseparável!

Observem o que pode ser feito para tentar minimizar os danos:

  • Tente viajar com a cadeira que se dobra para baixo;
  • Tire todos os acessórios que têm o potencial de serem danificados, coloque-os em uma bagagem de mão;
  • Separe um papelão para acomodar a cadeira fechada, capriche no embrulho;
  • Leve em conta que o adesivo “frágil” é nosso amigo e extremamente importante, mesmo com os cuidados acima aplicados.

O ideal é, no final das contas, curtir os momentos em família, sem a dor de cabeça de correr atrás de uma nova cadeira de rodas. Mas e se, mesmo assim, a cadeira vier danificada, o que fazer?

Nestes casos, devemos buscar reparo ou a substituição da mesma com a companhia aérea. Você relata os danos e busca um provedor de equipamentos médicos para uma cotação de preço. A companhia aérea deve pagar os reparos. Para quem não quer passar por estas situações, há a opção de aluguel de cadeiras de rodas, certifique-se de que o seu destino possui este serviço.

Opte sempre pela companhia que respeita a todos, igualmente.

Esperamos ter ajudado aos amigos da Monfalcone Comércio de Camas Especiais com esta pequena reflexão.

Abraços e boa viagem!